• Bruna Coimbra

Como a mídia escolhe o que vai ser notícia?


A atividade jornalística é pautada pelos acontecimentos diários. Por isso, todo e qualquer assunto ou acontecimento que seja de interesse coletivo, da sociedade geral, ou de algum segmento específico, pode se transformar em notícia.



Homem lê notícias no celular enquanto toma café
A imprensa capta informações sobre fatos relevantes para transformá-los em notícias

A notícia é a forma como estes assuntos/acontecimentos de interesse coletivo são apresentados pelos veículos de comunicação. Elas são a maneira como os jornalistas retratam o que está acontecendo no mundo. E a imprensa tem como função captar informações sobre fatos relevantes e transformá-los em notícias.


Então, em meio a tantos acontecimentos diários, como a mídia escolhe o que vai ser notícia? Alguns critérios podem ajudar a fazer esse filtro de assuntos ou fatos que poderão ser considerados notícia:


Proximidade – Um fato local tem maior probabilidade de afetar diretamente a vida do cidadão. Imagine a notícia de um acidente. As pessoas vão se perguntar: será que havia algum conhecido no local? Como está o trânsito na região? Ou seja, quanto mais próximo do público, maior a possibilidade de o fato virar notícia, ou maior o destaque a ser dado pelo veículo.


Atualidade – Quanto mais atual um acontecimento, maior o interesse por ele. A notícia geralmente traz uma informação inédita para o público, ou ainda, fala sobre uma nova descoberta a respeito de um fato antigo. Embora também haja espaço nos veículos para notícias sem data certa. São as chamadas "pautas frias", que podem trazer temas atuais com mais profundidade, sem a pressão do tempo.


Utilidade pública/Serviços – São assuntos de interesse geral, e que muitas vezes são pautados por órgãos públicos e outras instituições. Informações sobre o tempo, condições de trânsito, campanhas de saúde, empregos, concursos públicos, sempre são notícia, pois o jornalismo tem entre suas funções prestar serviço à população.


Pessoas envolvidas – Quanto mais conhecidas ou o que elas fazem é relevante, mais repercussão terá a notícia. Na verdade, as pessoas são o alvo direto das notícias. Mas, se a notícia se referir a uma personalidade pública, como políticos, celebridades ou especialistas em determinada área, isso despertará mais interesse do público.


Fatos imprevisíveis – O inesperado, a novidade, o que nunca foi visto antes, sempre desperta a curiosidade do público. Pequenos roubos, infelizmente, acontecem todos os dias, mas nem sempre viram notícia. Mas quando um ladrão fica “entalado” na caixa do ar condicionado de um apartamento, o fato se torna notícia pela raridade com que acontece.


Interesse pessoal – Está relacionado a informações que interessam a um grupo específico de pessoas. Por exemplo, informações sobre o ENEM não são de interesse geral, mas são relevantes para um grande grupo de pessoas, envolvendo os estudantes que vão prestar o exame e os familiares deles. Então, ainda assim, viram notícia.


Depois de utilizar esses critérios, é hora de trabalhar na produção do conteúdo e como será distribuído. Para cada veículo, há um formato específico de apresentação da notícia. Com a realidade da internet, a notícia veiculada na TV, por exemplo, pode virar uma matéria no site, um post das redes sociais, e gerar uma entrevista em podcast com um especialista.


Tenha atenção à dinâmica de produção de cada veículo e plataforma de mídia para fazer a escolha dos critérios e elementos mais adequados para cada um.